Postagens Etiquetadas ‘Will Poulter’

Detroit em Rebelião | Crítica | Detroit, 2017, EUA

Detroit em Rebelião revisita um retrato para entendermos que algumas coisas erradas no mundo não são novidades.

Detroit em Rebelião | Review

Elenco: John Boyega, Will Poulter, Algee Smith, Jason Mitchell, John Krasinski, Anthony Mackie | Roteiro: Mark Boal (Guerra ao Terror) | Direção: Kathryn Bigelow (A Hora Mais Escura)

O estudo da condição humana já é alvo de Kathryn Bigelow há algum tempo e Detroit em Rebelião é mais um exemplo disso. A diretora usa da atualidade de eventos recentes como os de Charlotsville e Ferguson para fazer uma ligação com os movimentos de direitos civis que vem desde os anos 1960 para apontar que a história de opressão aos negros nos EUA não é nenhuma novidade. É fácil apontar que esse seja um tema comum e até óbvio, mas os casos citados mostram que mesmo a obviedade não é suficiente para que eles sejam menos propícios a acontecer. E usar o cinema como meio para esse discurso serve para entregar a mensagem de maneira mais fácil.

Leia mais

O Regresso | Crítica | The Revenant (2015) EUA

O Regresso (2015)

Com Leonardo DiCaprio, Tom Hardy, Domhnall Gleeson, Will Poulter, Forrest Goodluck, Arthur Redcloud e Grace Dove. Roterizado por Mark L. Smith e Alejandro G. Iñárritu baseado na obra de Michael Punke. Dirigido por Alejandro G. Iñárritu (Birdman).

O novo filme de Alejandro Iñárritu é contemplativo e tecnicamente impecável, podendo se mostrar um desafio para muitos, mas que vale a pena ser apreciado.

8/10 - "tem um Tigre no cinema"É verdade que O Regresso traz alguns desafios, sendo o principal a sua longa duração – 156 minutos – o que permite que o diretor use e abuse de longos planos, contemplações da natureza, flashbacks em misto de sonhos e poucos diálogos. Também é verdade que Iñárritu poderia ser mais breve em suas contemplações, o que não quer dizer que o filme se torne maçante em todo o tempo que ele aponta sua câmera para a natureza. O diretor busca mostrar a jornada do herói por meio de vários símbolos, sendo a duração um deles. Ainda que não agrade a todos – perfeitamente compreensível – é inegável a qualidade da direção do mexicano e sua paixão por fazer cinema.

Leia mais

Maze Runner: Correr ou Morrer | Crítica | The Maze Runner, 2014, EUA

Maze Runner, 2014

Com Dylan O’Brien, Kaya Scodelario, Thomas Brodie-Sangster, Will Poulter, Patricia Clarkson, Ki Hong Lee e Aml Ameen. Roteirizado por Noah Oppenheim, Grant Pierce Myers e T.S. Nowlin, baseado no romance de James Dashner. Dirigido por Wes Ball.

6/10 - "tem um Tigre no cinema"Interessante notar que Maze Runner: Correr ou Morrer reflete em seus personagens tanto o público-alvo – os chamados jovens adultos –, como o diretor, roteiristas, elenco, praticamente iniciantes. A fórmula da distopia futurista já está cansando, pois esse ano terá, pelo menos, quatro filmes com o tema. Mas há certo frescor nesse filme. Longe de ser original – pois toma emprestado elementos de variadas histórias – o ritmo e visual contagiam o espectador para esse conto modernizado de prisioneiros.

Leia mais

Família do Bagulho (We’re the Millers, 2013, EUA) [Crítica]

We're the Millers, 2013

Com Jennifer Aniston, Jason Sudeikis, Emma Roberts, Will Poulter, Nick Offerman, Kathryn Hahn e Ed Helms. Roteirizado por Bob Fisher, Steve Faber, Sean Anders e John Morris. Dirigido por Rawson Marshall Thurber (Com a Bola Toda).

8/10 - "tem um Tigre no cinema"Imagine a família mais disfuncional que você conheceu. Pode ser até a sua. Pegue todos os momentos vexatórios que se tem notícia e junte na memória. Essas lembranças são a base de “Uma Família do Bagulho” – sim, o título nacional é cretino –, apesar dos Millers não serem uma. E essa subversão da imagem da família perfeita é a maior qualidade do filme. Os personagens são praticamente estranhos uns aos outros, mas acabam sendo parecido com seu irmão, seu pai, sua irmã, ou até a sua avó e sua tia. O roteiro escrito à quatro mãos tem problemas, mas é engraçado o suficiente para te deixar mais leve no fim da sessão, com suas situações desbocadas e nada moralistas.

Leia mais

Para cima