Postagens Etiquetadas ‘Filmes de 2012’

Argo | TigreCast #124 | Podcast

Argo | TigreCast #124

Argo fuck yourself!

Continuando nosso especial falando sobre os vencedores do Oscar 2013, é hora de falar de um filme que romantiza os problemas que os EUA colheram por causa de seus próprios erros de política externa: Argo (2012), dirigido por Ben Affleck, que tem no elenco Bryan Cranston, John Goodman, Alan Arkin e o próprio diretor.

No podcast de hoje, Tiago Lira, o Tigre (@otigre1982), Marcelo Paradella (@bolapucc) e Matheus Des (@matheudes) conversam sobre a carreira de Affleck na direção – e que os fãs da DC Comics devem ir preparando um altar para ele – dos outros indicados ao prêmio, as qualidades da montagem, da fotografia e como a adaptação deixa os espectadores tensos. Ainda deixamos um recado especial para nossos ouvintes Steven Spielberg e alguns executivos da Warner.

Leia mais

Reproduzir

Amor | TigreCast #123 | Podcast

Amor | TigreCast 123

Il ne sert à rien de continuer à vivre” – Anne

Continuando a falar sobre o Oscar 2013 é hora de falar de um dos filmes mais belos da carreira de Michael Haneke, uma produção que ao mesmo tempo deve ser visto mas não temos muita vontade de rever: o vencedor do prêmio de melhor filme estrangeiro Amor (Amour, 2012) com Jean-Louis Trintignant, Emmanuelle Riva e Isabelle Hupper.

Nesse podcast Tiago Lira, o Tigre (@otigre1982), Angélica Hellish (@AngelMasmorra) e Marcelo Paradella (@bolapucc) fazem comparações com Lars von Trier, falam do lado humanístico do diretor, da filmografia dos envolvidos, experiências pessoais, se o filme seria lento ou contemplativo e o papel do cinema.

Atenção: Lá no fim, o áudio do Marcelo ficou com uns cliques estranhos e não conseguimos tirar. Mal ae.

Leia mais

Reproduzir

Valente | TigreCast #122 | Podcast

Podcast sobre Valente (2012), vencedor do Oscar de Melhor Animação em 2013 e a velha discussão se ganhar o prêmio tem relevância

Valente | TigreCast 122

I am Merida, and I’ll be shooting for my own hand.” – Princesa Merida

Estamos na época do mais conhecido prêmio da 7ª Arte – O Oscar. E nessa onda, começamos o nosso especial sobre alguns premiados da Academia em 2013. E começamos com o vencedor do prêmio de Melhor Animação de 2012: Valente (Brave).

Nesse podcast Tiago Lira, o Tigre (@otigre1982),Marcelo Zagnolli (@marcelozagnolli) e Matheus Des (@matheudes) falam sobre um filme que tinha todas as possibilidades de ser bom, mas que resultou numa produção confusa. Conversamos sobre detalhes técnicos, a música, os grandes problemas do roteiro – chamado até de esquizofrênico por um dos participantes -, porquê teve má recepção na bilheteria – seria por ter uma protagonista feminina? – e como foi que os membros da academia escolherem esse ao invés de Detona Ralph.

Leia mais

Reproduzir

Os Vingadores: três anos depois | TigreCast #87 | Podcast


Os Vingadores: três anos depois | TigreCast #87

Na onda do novo filme dos Vingadores… nós não vamos falar da Era de Ultron. Ao invés disso, vamos voltar para 2012 e revisitar o filme que foi o sonho de muitos de nós fãs de quadrinhos, especialmente da Marvel. Tiago Lira, o Tigre (@otigre1982), Marcelo Zagnoli (@marcelozagnoli) e Matheus Des (@matheusdes) se reúnem para discutir o fenômeno que foi Os Vingadores (The Avengers, 2012, Dir Joss Whedon).

Entre outras coisas, falamos de uma briga entre DC/Warner e Marvel/Disney nos cinemas, de como víamos o filme na época e agora. Dessa vez, não discutimos a trama do filme, mas discutimos outros aspectos, principalmente da comoção que o filme causou em fãs ao redor do mundo e de como as Marvel tem tratado bem seus fãs no cinema.

E atenção: há spoilers de todos os filmes da Marvel nos cinemas, da primeira temporada de Agentes da SHIELD e alguns bem leves de Era de Ultron lá no fim!
Leia mais

Reproduzir

Reality – A Grande Ilusão (Reality, 2012, Itália) [Crítica]

"Reality", 2012

Com Aniello Arena, Loredana Simioli, Nando Paone. Roteirizado por Matteo Garrone e Massimo Gaudioso. Dirigido por Matteo Garrone.

8/10 - "tem um Tigre no cinema"É preocupante o crescimento de importância que os chamados reality shows tem na vida contemporânea. Em tempos de BBBs e Fazendas, se você não ficar sabendo do último eliminado, é capaz de ficar viajando nos primeiros minutos do seu dia no escritório. “Reality – A Grande Ilusão” trata muito bem dessa alienação que as celebridades tem sobre os mais incautos.

Leia mais

Killer Joe – Matador de Aluguel | Crítica | Killer Joe, 2012, EUA

Killer Joe é um filme violento, com doses de sarcasmo e humor negro e muito interessante por nos colocar numa história depressiva e tensa.

Killer Joe

Com Matthew McConaughey, Emile Hirsch, Juno Temple, Gina Gershon e Thomas Haden Church. Roteirizado por Tracy Letts (Possuídos), baseado na própria peça de teatro. Dirigido por William Friedkin (O Exorcista).

10/10 - "tem um Tigre no cinema"Não é sempre que vemos um filme violento, com doses de sarcasmo e humor negro como “Killer Joe”. Friedkin juntou um excelente elenco, e conseguiu dar profundidade à esses personagens detestáveis, e que são a antítese da família unida. Com uma história intrigante, cheia de momentos tensos e deprimentes, mas altamente justificáveis, é ótimo vermos que o famoso diretor de “O Exorcista” (The Exorcist, 1973) acerta o caminho mais uma vez depois de tanto tempo.

Leia mais

O Dobro ou Nada (Lay the Favorite, 2012, EUA) [Crítica]

"Lay the Favorite", 2012

Com Bruce Willis, Catherine Zeta-Jones, Rebecca Hall, Joshua Jackson, Vince Vaughn e Laura Prepon. Roteirizado por D.V. DeVincentis, baseado no livro de Beth Raymer. Dirigido por Stephen Frears (A Rainha).

3/10 - "tem um Tigre no cinema"Se você quer ver uma comédia leve e simplória, e que pode render algumas poucas risadas, assista “O Dobro ou Nada”. Se você estiver procurando um bom filme, a história é diferente. Mostrando que é um diretor que alternas altos e baixos, Frears adapta uma história baseada num livro de experiências reais durante arrastados 94 minutos. Personagens nada carismáticos, de índole duvidosa e até mesmo estúpidos sem um motivo claro fazem um péssimo conjunto da obra, e já mostram um dos candidatos à pior filme lançado no país em 2013.

Leia mais

A Hora Mais Escura (Zero Dark Thirty, 2012, EUA) [Crítica]

"Zero Dark Thirty", 2012

Com Jessica Chastain, Jason Clarke, Joel Edgerton, Mark Strong, Jennifer Ehle, Kyle Chandler e James Gandolfini. Roteirizado por Mark Boal. Dirigido por Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror).

9/10 - "tem um Tigre no cinema"Acredito que nos apaixonamos pelos detalhes. Não nos interessamos por todos os assuntos do mundo, mas quando gostamos de algo, queremos apenas saber além do superficial. É por isso que vários cinéfilos apreciam os extras quando compram ou alugam filmes, ou quando gostamos de um livro e queremos saber mais do autor, seu processo criativo, e o que mais escreveu. E quando Osama bin Laden foi morto, queríamos saber como foi, se era verdade ou não. Mais uma vez trazendo um drama de guerra recente, a diretora Kathryn Bigelow, de “Guerra ao Terror” (The Hurt Locker, 2010), mostra um filme com várias qualidades: intensidade, drama e questionamentos fazem parte de uma direção competente dessa história que tantos ansiavam por conhecer e discutir.

Leia mais

O Lado Bom da Vida | Crítica | Silver Linings Playbook, 2012, EUA

O Lado Bom da Vida foges do tratamento clichê da relação entre amor e da paixão como loucura, mas existem outros esteriótipos na trama.

"Silver Linings Playbook", 2012Com Bradley Cooper, Jennifer Lawrence, Robert De Niro, Jacki Weaver, Chris Tucker e Anupam Kher. Baseado no romance de Matthew Quick. Roteirizado e dirigido por David O Russell (O Vencedor).

7,5 - "tem um Tigre no cinema"O Lado Bom da Vida seria um filme fraco se apenas tratasse do amor e da paixão como loucura. Apesar de a devoção do personagem principal pela esposa, o filme tenta mostrar um pouco de como pode ser a convivência com alguém que tenha transtorno bipolar. Mesmo se aprofundando mais na romance do que no distúrbio, que seria uma opção dramaticamente interessante, o filme não é uma perda de tempo e assume seu papel de romance de um modo correto. Nesse ponto de vista, é uma história que começa de um jeito não usual, para terminar do jeito esperado. Mas o diretor consegue criar grande empatia com os personagens que nos faz querer esse final, por mais piegas que seja.

Leia mais

O Mestre (The Master, 2012, EUA) [Crítica]

"The Master", 2012

 

Com Joaquin Phoenix, Philip Seymour Hoffman, Amy Adams, Ambyr Childers, Jesse Plemons, Rami Malek e Laura Dern. Roteirizado e dirigido por Paul Thomas Anderson.

10/10 - "tem um Tigre no cinema"A Guerra acabou, e a paz chegou. Mas será que para todos? O diretor Paul Thomas Anderson traz um filme triste e em certos pontos cruel, mas com questionamentos válidos. Tratando de personagens perdidos, desagradáveis e dominadores, o diretor e roteirista faz um desenho da própria natureza humana. Tratar se a história tem ou não relação com certa religião fica em segundo plano. O importante é entendermos quem são essas pessoas, como elas amam e sofrem.

Leia mais

Lincoln (Lincoln, 2012, EUA) [Crítica]

"Lincoln", 2012

Com Daniel Day-Lewis, Sally Field, David Strathairn, Joseph Gordon-Levitt, James Spader, Gulliver McGrath, Hal Holbrook e Tommy Lee Jones. Roteirizado por Tony Kushner, baseado no livro de Doris Kearns Goodwin. Dirigido por Steven Spielberg (As Aventuras de Tintim).

8/10 - "tem um Tigre no cinema"Um personagem conhecido, ícone para muitos e que rompeu as fronteiras de seu país. Qualquer pessoa com um mínimo de conhecimento cultural sabe da existência de Abraham Lincoln, o 16º presidente dos EUA. Spielberg escolheu não fazer uma cinebiografia da vida dessa figura histórica, mas apenas do último ano de sua vida, em 1865. Por mais questionável que seja, o diretor faz um trabalho típico de sua filmografia, apelando para o lado mais humano do presidente. Vemos mais uma vez sinceridade no olhar de Spielberg, que quis mostrar na tela do cinema o seu lado mais patriótico. E não há nada de errado nisso, apesar de deixar essa obra menos universal.

Leia mais

Django Livre (Django Unchained, 2012, EUA) [Crítica]

"Django Unchained", 2012

Com Jamie Foxx, Christoph Waltz, Leonardo DiCaprio, Kerry Washington, Samuel L Jackson, Walton Goggins, Dennis Christopher, James Remar, Michael Parks e Don Johnson. Roteirizado e dirigido por Quentin Tarantino (Cães de Aluguel).
9/10 - "tem um Tigre no cinema"Na sua nova empreitada, Tarantino compõe mais um mosaico que mistura homenagem ao cinema e a História. “Django Livre” tem tudo o que estamos acostumados nos filmes do cineasta: violência e comédia desmedidas, ares de cultura pop, críticas e, principalmente, uma ótima história aliada à uma ótima direção. É mais do mesmo Tarantino, e podemos levantar as mãos e agradecer por isso.

Leia mais

Jack Reacher – O Último Tiro (Jack Reacher, 2012, EUA) [Crítica]

"Jack Reacher", 2012

Com Tom Cruise, Rosamund Pike, Richard Jenkins, David Oyelowo, Joseph Sikora, Alexia Fast, Jai Courtney, Robert Duvall e Werner Herzog. Roteirizado e dirigido por Christopher McQuarrie (Os Suspeitos).

8/10 - "tem um Tigre no cinema"Jack Reacher é um personagem de uma série de livros do estilo policial. Portanto a primeira pergunta que a maioria tende a perguntar é como Tom Cruise topou encarnar mais um personagem no estilo agente secreto. Mas Jack é diferente de Ethan Hunt, o herói da série Missão: Impossível 1, 2, 3 e Protocolo Fantasma. A história não se distancia muito de feitos de outros filmes de ação, mas o resultado agrada e agora temos mais um personagem misterioso e cheio de truques que farão parte do time de (anti) heróis do cinema. Alguns podem ver como uma coleção de clichês. Mas a melhor definição é que o filme é uma homenagem ao estilo.

Leia mais

A Viagem (Cloud Atlas, 2012, Alemanha-EUA) [Crítica]

"Cloud Atlas", 2012

Com Tom Hanks, Halle Berry, Jim Broadbent, Hugo Weaving, Jim Sturgess, Doona Bae, Ben Whishaw, James D’Arcy, Zhou Xun, Keith David, Susan Sarandon e Hugh Grant. Baseado no romance de David Mitchell. Roterizado e dirigido por Tom Tykwer (Perfume), Lana e Andy Wachowski (Matrix).

5/10 - "tem um Tigre no cinema"Não é a primeira vez no mundo das artes que uma obra tenta evocar a ideia de que estamos todos conectados. “A Viagem” é uma produção que mostra que essa ligação acontece no físico e entra no metafísico/espiritual, com vidas passadas e almas ligadas pelo destino (ou por Deus, ou pelo universo, como acharem melhor). Mas a viagem cinematográfica dos irmãos Wachowski não vai além do mediano, beirando o medíocre. É um filme que peca pelo exagero. Ao invés de manter a simplicidade, as mentes megalomaníacas do trio de diretores/roteiristas preferiu complicar com pulos entre tempos diferentes e sem motivo aparente. Não para o bem do espectador, nem para manter qualquer suspense.

Leia mais

Detona Ralph (Wreck-it Ralph, 2012, EUA) [Crítica]

"Wreck-it Ralph", 2012

Com John C Reilly, Sarah Silverman, Jack McBrayer, Alan Tudyk, Ed O’Neill e Jane Lynch. Argumento de Rich Moore, Phil Johnston e Jim Reardon. Roteirizado por Phil Johnston e Jennifer Lee. Dirigido por Rich Moore.

9,5/10 - "tem um Tigre no cinema"Todos os pôsteres de divulgação convergiam para uma direção: “Detona Ralph” seria um filme que levaria toda uma geração ao cinema para ver nossos personagens preferidos do mundo gamer. Sonic, Pac-Man, Mario e vários personagens da Capcom (principalmente da franquia Street Fighter) desfilam pelo universo do fliperama Witlak. Mas não é só isso. Os responsáveis pelo filme entregaram uma produção emocionante e divertida, que é complementada por essas presenças memoráveis. Misturando tudo isso à ação e doçura (sem ser pegajosa), a Disney ganha mais uma história para ficar na memória de qualquer um. Gamer ou não.

Leia mais

O Impossível (Lo Imposible, 2012, Espanha) [Crítica]

"Lo Imposible", 2012

8/10 - "tem um Tigre no cinema"Com Naomi Watts, Ewan McGregor, Tom Holland, Samuel Joslin e Oaklee Pendergast. Roteirizado por Sergio G Sánchez (O Orfanato). Dirigido por J A Bayona (O Orfanato).

“O Impossível” é um drama onde Bayona usa todos os artifícios para fazer que o espectador se emocione. Principalmente no campo musical. Se fosse possível, o diretor descascaria cebolas ao vivo. Apesar da muleta emocional, a história baseada em fatos reais é um belo filme. Por ser uma ode à esperança e ao espírito humano, é normal que os personagens apresentados tenham uma leve tendência ao maniqueísmo. Mas assim como os sobreviventes dessa tragédia emergiram de suas situações desesperadoras, Sanchez e Bayona preferem acreditar que o melhor de nós também o faz.

Leia mais

As Aventuras de Pi (Life of Pi, 2012, EUA) [Crítica]

"Life of Pi", 2012

Com Suraj Sharma, Irrfan Khan, Tabu, Adil Hussain, Gerard Depardieu e Rafe Spall. Roteirizado por David Magee (Em Busca da Terra do Nunca), baseado no romance de Yann Martel. Dirigido por Ang Lee (O Segredo de Brokeback Mountain).

9/10 - "tem um Tigre no cinema"É comum dizer que as experiências com Deus são únicas, e isso pode ser expandido quando se fala de qualquer divindade ou até mesmo do Universo. “As Aventuras de Pi” é uma grande contemplação à como as coisas conspiram a favor ou contra nós, e como reagimos nessas situações. A vida é dotada de pequenos momentos que podem ser considerados milagres, dependendo de como você conta a história. O diretor Ang Lee apresenta um filme que é uma grande alegoria espiritual, apresentando algumas nuances de Deus, as questões de ser humano, e de nossa próprias dúvidas.

Leia mais

O Homem da Máfia (Killing Them Softly, 2012, EUA) [Crítica]

Com  Brad Pitt, Richard Jenkins, James Gandolfini, Ray Liotta, Scoot McNairy, Ben Mendelsohn e Sam Shepard. Baseado no romance de  George V Higgins. Escrito e dirigido por Andrew Dominik (O Assassinato de Jesse James Pelo Covarde Robert Ford).

O mundo da máfia está cheio de seres desprezíveis e detestáveis. E Andrew Dominik mostra isso com primor na sua terceira empreitada no cinema com “O Homem da Máfia”, ao nos contar uma história cheia de violência, torpor e tridimensionalidade dos personagens. Existe também uma crítica ao período de transição entre o fim da presidência Bush e a eleição de Obama, mas também à política em geral, e até mesmo à história oficial e amplamente conhecida. O filme é um primor aos olhos, passando pelas atuações, direção, e decisões de câmeras e fotografia, e até a falta de trilha sonora nos trazem uma imperdível produção.

Leia mais

Para cima