Postagens Etiquetadas ‘Doug Liman’

Feito na América | Crítica | American Made, 2017, EUA

Doug Liman usa de piadas para falar de um assunto sério Feito na América e desse jeito serve tanto de veículo quanto de crítica.

Feito na América (American Made) | Review

Elenco: Tom Cruise, Sarah Wright, Domhnall Gleeson, Caleb Landry Jones, Alejandro Edda, Mauricio Mejía | Roteiro: Gary Spinelli | Direção: Doug Liman (No Limite do Amanhã) | Duração: 115 minutos

A abordagem cômica – e que funciona demais – em Feito na América é eficaz por dois motivos. Primeiro, porque é mais fácil abordar um assunto sério fazendo piada dele. Segundo, porque expõem a grande piada da Guerra às Drogas que acontece desde a década de 1970. De maneira despojada, mas sem esquecer do conteúdo, Liman conta os detalhes de uma história suja que não sai do lugar há quatro décadas, mostrando como tudo é uma questão de como você vende a sua imagem e de como fins tentam justificar os meios. O que também é uma grande piada – a não ser que você faça isso pelos mocinhos.

Leia mais

A Trilogia Bourne | TigreCast #145 | Podcast

Podcast dos filmes da Trilogia Bourne, o agente sem memória: A Identidade Bourne (2002), A Supremacia Bourne (2004) e O Ultimato Bourne (2007). Ouve aí!


A Trilogia Bourne | TigreCast #145 | Podcast

No podcast de hoje, Tiago Lira (@tiagoplira) e Matheus Des (@matheusdes) conversam sobre os três primeiros filmes do agente sem memória: A Identidade Bourne (2002), A Supremacia Bourne (2004) e O Ultimato Bourne (2007) para nos prepararmos para a continuação Jason Bourne.

E sim, estamos de volta!

Leia mais

Reproduzir

No Limite do Amanhã | Crítica | Edge of Tomorrow, 2014, EUA

Edge of Tomorrow, 2014

6/10 - "tem um Tigre no cinema"Com Tom Cruise, Emily Blunt, Bill Paxton e Brendan Gleeson. Roteirizado por Christopher McQuarrie, Jez Butterworth e John-Henry Butterworth. Baseado no original de Hiroshi Sakurazaka. Dirigido por Doug Liman (Swingers).

Os gamers se identificarão com a trama de No Limite do Amanhã como diz a chamada: viva, morra, repita. É precisamente isso que eles fazem. A aprendizagem do protagonista é a mesma que temos com os jogos. Decoramos, treinamos até chegar ao chefe final. É um filme de ficção científica com bons momentos, mas essa proximidade com o videogame incomoda, pois Doug Liman não se desapega da mídia, e compromete a produção ao esquecer da narrativa e do cinema em si.

Leia mais

Swingers – Curtindo a noite (Swingers, 1996, EUA) [Crítica]

Com Jon Favreau e Vince Vaughn. Escrito por Jon Favreau e dirigido por Doug Liman (A Identidade Bourne). Depois de sair de um relacionamento de sete anos, Mike Peters (Favreau) acha que não sabe mais como se divertir a noite com os amigos para beber e conhecer garotas. Os amigos farão de tudo para melhorar o astral dele, mesmo que isso signifique passar de bar em abr, de festa em festa, conhecendo os mais diferentes tipos.
Não estava entendo a graça do filme, até me lembrar de como era sair com meus amigos e às vezes não dar certo, e torcendo, e vibrando muito quando as coisas davam certo, naquele pensamento “ahhh, beija ela logo, p0##@”. E aqui vale a máxima: as coisas começam a dar certo quando você não está preocupado com elas… Boa comédia!

Para cima