Postagens Etiquetadas ‘Christian Bale’

A Grande Aposta | Crítica | The Big Short (2015) EUA

A Grande Aposta (2015)

Com Christian Bale, Steve Carell, Ryan Gosling, John Magaro, Finn Wittrock, Margot Robbie, Selena Gomez, Brad Pitt. Roteirizado por Adam McKay, Charles Randolph, baseado no livro de Michael Lewis. Dirigido por Adam McKay.

Sentimentos conflitantes vêm à tona nessa excelente produção que tenta explicar a crise da bolha imobiliária americana de 2007.

10/10 - "tem um Tigre no cinema"A Grande Aposta é um filme hilariante e genial. E ao mesmo tempo causa asco ao espectador. O diretor Adam McKay destrinchou uma história bem complicada para os mais leigos e tentou trazer para um nível mais popular uma das piores crises financeiras da história. A maneira que ele faz isso é de bater palmas. Ao mesmo tempo não deixa de lado os culpados de lado nessa questão. É aí que o espectador tem vontade não de levantar e bater palmas, mas sim bater no primeiro banqueiro que encontrar.

Leia mais

Psicopata Americano | TigreCast #109 | Podcast


Psicopata Americano | TigreCast 109

É bom lembrar de filmes que nos fazem pular da cadeira, seja lá qual for o motivo. É caso do engraçado e perverso Psicopata Americano (American Psycho, 2000), dirigido e roteirizado por Mary Harron, baseado no livro de Bret Easton Ellis e que tem no elenco Christian Bale, Willem Dafoe, Jared Leto e Reese Witherspoon.

Nesse podcast Tiago Lira, o Tigre (@otigre1982), Cliff e Marcelo Zagnoli (@marcelozagnoli) falam sobre as produções boas e ruins do ano 2000, da carreira da diretora, dos atores e a piada pronta do personagem do Christian Bale na sua melhor atuação (?). Também discutimos as metáforas, detalhes do design de som o contraste da música com o que vemos na tela e a questão do filme ir muito além de contar a vida de um assassino serial.

Leia mais

Reproduzir

Êxodo: Deuses e Reis | Crítica | Exodus: Gods and Kings, 2014, EUA

Exodus: Gods and Kings, 2014

Com Christian Bale, Joel Edgerton, John Turturro, Aaron Paul, Ben Mendelsohn, Sigourney Weaver, Ben Kingsley e Issac Andrews. Roteirizado por Adam Cooper, Bill Collage, Jeffrey Caine, Steven Zaillian. Dirigido por Ridley Scott (Prometheus).

8/10 - "tem um Tigre no cinema"Falar de religião é sempre um terreno espinhoso, ainda mais quando o assunto é o considerado líder de uma nação, tanto por judeus quanto muçulmanos. Recontando uma história muito conhecida, e que têm nos calcanhares outras grandes adaptações cinematográficas, Êxodo: Deuses e Reis é uma aula de cinema que traz os mesmos desafios ligados ao filme de outra figura bíblica, lançada alguns meses atrás. Ridley Scott trouxe uma grande e magnífica produção, como foi a era de ouro dos faraós, e não tem receio de imaginar uma história clássica, dando tons de alegoria, como alguns creem ser, e não esquecendo de elementos primordiais da fonte original.

Leia mais

Christian Bale não será mais Steve Jobs. Michael Fassbender entrará em seu lugar? | #NEWS

Bale | Jobs | Fassbender

De acordo com o Hollywood Reporter, Christian Bale, conhecido pela Trilogia Batman de Christopher Nolan, abandou o papel por não se ver como a pessoa certa para o papel do filme dirigido por Danny Boyle (de Quem Quer Ser um Milionário) e com roteiro de Aaron Sorkin (de O Homem que Mudou o Jogo).

Leia mais

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge (The Dark Knight Rises, 2012, EUA) [Crítica]

Com Christian Bale, Gary Oldman, Tom Hardy, Anne Hathaway, Marion Cotillard e Morgan Freeman. Roteirizado por Christopher Nolan, Jonathan Nolan e David S. Goyer. Dirigido por Christopher Nolan.

“In Nolan We Trust”. Essa frase foi muito usada na internet para mensurar como estávamos confiantes na conclusão da Trilogia Batman nas mãos de Christopher e Jonathan Nolan e David S. Goyer. Depois de sete anos, chegamos a um belo fim. O filme não é perfeito, mas chega bem perto disso. Não é só um ótimo filme, mas também não deixa ponta soltas, e fecha a trilogia de um jeito que poucas séries desse tipo conseguiram. Todos os atores estão muito bem na produção e a música de Hans Zimmer também encontra seu ciclo. Alguns detalhes fazem que o filme não chegue no mesmo patamar do anterior, mas ele consegue ser um pouco melhor do que “Batman Begins” (de 2005). A única coisa triste é que não veremos mais toda essa gente envolvida para nos brindar com um novo filme.

Leia mais

Para cima