Postagens Etiquetadas ‘Bryan Cranston’

Power Rangers | Crítica | Power Rangers, 2017, EUA

Power Rangers vem carregado de nostalgia, mas é só nos minutos finais que realmente mostra a que veio.

Power Rangers (2017)

Elenco: Dacre Montgomery, Naomi Scott, RJ Cyler, Becky G, Ludi Lin, Bill Hader, Bryan Cranston, Elizabeth Banks | Argumento: Matt Sazama, Burk Sharpless, Michele Mulroney, Kieran Mulroney | Roteiro: John Gatins | Baseado em: Power Rangers (Haim Saban) e Kyōryū Sentai Zyuranger (Toei Company) | Direção: Dean Israelite (Projeto Almanaque) | Duração: 124 minutos | Cena Extra

Há uma pretensa seriedade em Power Rangers durante o primeiro ato que não acompanha o resto da produção: como se a vida sem graça de cinco adolescentes comuns de uma cidadezinha ganhasse cores e, junto disso, armaduras brilhantes e robôs-dinossauros gigantes. Basicamente, o sonho de qualquer um que cresceu acompanhando super-sentai (sejam os originais japoneses ou a versão pasteurizada da Saban). Um filme assim deveria primar pela diversão e abraçar seus absurdos, mas isso só acontece em parte. Sem saber como trabalhar com um filme de origens, o resultado é tedioso em geral e só começa a ficar interessante quando sabemos que está acabando.

Leia mais

Kung Fu Panda 3 | Crítica | Kung Fu Panda 3, 2016, EUA

Kung Fu Panda 3 (2016)

Com Jack Black, Angelina Jolie, Dustin Hoffman, J. K. Simmons, James Hong, Jackie Chan, Lucy Liu, Seth Rogen, David Cross, Bryan Cranston e Kate Hudson. Roteirizado por Jonathan Aibel e Glenn Berger. Dirigido por Jennifer Yuh Nelson e Alessandro Carloni.

O espetáculo visual e a explosão de fofura não salvam Kung Fu Panda 3 de ser muito mais que isso.

5/10 - "tem um Tigre no cinema"Pode parecer óbvio, mas Kung Fu Panda 3 só existe em função do seu antecessor – da cena extra da produção anterior, para ser mais exato. As aventuras do panda e seus companheiros é uma coisa linda de se ver, digna de nota pela qualidade da animação, paleta de cores e que facilmente fará parte daquela bela coleção de livros de arte de filmes. Porém, sofre do mal de ser mais do mesmo, com muitas cenas engraçadinhas e outras até um tanto óbvias – mesmo para crianças nessa que é, provavelmente, a última aventura no cinema dos Seis Furiosos. E é melhor assim.

Leia mais

Argo | TigreCast #124 | Podcast

Argo | TigreCast #124

Argo fuck yourself!

Continuando nosso especial falando sobre os vencedores do Oscar 2013, é hora de falar de um filme que romantiza os problemas que os EUA colheram por causa de seus próprios erros de política externa: Argo (2012), dirigido por Ben Affleck, que tem no elenco Bryan Cranston, John Goodman, Alan Arkin e o próprio diretor.

No podcast de hoje, Tiago Lira, o Tigre (@otigre1982), Marcelo Paradella (@bolapucc) e Matheus Des (@matheudes) conversam sobre a carreira de Affleck na direção – e que os fãs da DC Comics devem ir preparando um altar para ele – dos outros indicados ao prêmio, as qualidades da montagem, da fotografia e como a adaptação deixa os espectadores tensos. Ainda deixamos um recado especial para nossos ouvintes Steven Spielberg e alguns executivos da Warner.

Leia mais

Reproduzir

Godzilla | Crítica | Godzilla, 2014, EUA

Godzilla, 2014

Com Aaron Taylor-Johnson, Ken Watanabe, Elizabeth Olsen, Juliette Binoche, Sally Hawkins, David Strathairn e Bryan Cranston. Argumento de David Callaham. Roteirizado por Max Borenstein, baseado no personagem da Toho. Dirigido por Gareth Edwards.

8/10 - "tem um Tigre no cinema"Quando assisti aos vinte minutos não-sequenciais de Godzilla, tive a impressão que seria um filme à altura da lenda do clássico do monstro que, nas suas inúmeras encarnações, teve bons momentos. Reimaginado para uma nova audiência, esta versão agrada por ter uma história direta, com uma base dramática e muito espaço para a ação. Apesar da falta de originalidade – afinal, é a segunda vez que Gojira chega aos cinemas americanos – e de alguns clichês, o filme se firma com uma direção sólida e com ótimas surpresas. Pode não ser lendário, mas é com certeza monstruoso como o personagem título.

Leia mais

Argo (Argo, 2012, EUA) [Crítica]

Com Alan Arkin,Ben Affleck[bb], John Goodman[bb], Scoot McNairy, Taylor Schilling, Tate Donovan, Nelson Franklin, Kyle Chandler, Clea DuVall e Bryan Cranston[bb]. Roteirizado por Chris Terrio. Dirigido por Ben Affleck (Atração Perigosa).

“Argo” já começa nos transportando aos anos 1980. Ao invés de usar a marca atual da Warner, o estúdio permitiu que o diretor usasse a versão da época, dando um ar quase retrô ao filme. Ao contar um episódio que ficou por um bom tempo como segredo de estado, Affleck foge da tentação de enaltecer todos os atos de seu país, ao criticar a influência que o governo americano teve no episódio da revolução iraniana em 1979. O filme consegue criar uma ótima atmosfera de drama, e também mistura passagens de comédia ao usar de metalinguagem para criticar também a própria indústria que o sustenta. Juntando isso com um roteiro e personagens bem desenvolvidos, Aflleck e Terrio entregam mais um ótimo filme para melhorar o ano de 2012.

Leia mais

“Argo” – Veja artes individuais dos personagens [#News 22]

Veja artes dos personagens Tony Mendez (Ben Affleck), Jack O’Donnell (Bryan Cranston), Lester Siegel (Alan Arkin) e John Chambers (John Goodman). O filme baseado numa ação da CIA da chamada “crise de reféns no Irã” já está em cartaz em todo o país.

O Vingador do Futuro (Total Recall, 2012, EUA) [Crítica]

Com Colin Farrell, Kate Beckinsale, Jessica Biel, Bryan Cranston, John Cho e Bill Nighy. Roteirizado por Kurt Wimmer e Mark Bomback. Baseado no conto “Lembramos para você a preço de atacado” de Philip K Dick e no filme de mesmo nome de 1990. Dirigido por Len Wiseman (Anjos da Noite).

Histórias boas valem ser revisitadas. E Philip K Dick vale ser revisitado. Não tinha lido o conto original antes de ver o filme, e quis também me livrar da memória do filme protagonizado por Arnold Schwarzenegger em 1990 para evitar comparações. Mas  a versão dirigida por Len Wiseman, roteirizada por Wimmer e Bomback tem como base o filme anterior, e os roteiristas originais são citado nos créditos do filme. Pois bem. A versão nova é um filme divertido, cheio de ação, e é impossível reclamar dos efeitos especiais, apesar de se mostrarem colagens de filmes como “Blade Runner” (de 1982). Arrisco dizer que a versão 2012 de “O Vingador do Futuro” fica só um pouco abaixo do que a anterior.

Leia mais

[NEWS] “O Vingador do Futuro”: Colin Farrell vem ao Brasil para o lançamento da nova versão [N#003]

Colin Farrell (Douglas Quaid) virá ao Brasil, no Rio de Janeiro, dia 11 de julho para divulgar a nova versão cinematográfica do conto “We Can Remember It For You Wholesale” de Philip K. Dick. A primeira adaptação ficou conhecida na década de 1990 com Arnold Schwarzenegger. A atual é dirigida por Len Wiseman (de “Duro de Matar 4.0”), e conta no elenco com Kate Beckinsale, Jessica Biel, Bryan Cranston e Bill Nighy.

O Vingador do Futuro” (Total Recall, 2012) tem previsão de chegar aos cinemas brasileiros 17 de agosto/2012. Veja abaixo a galeria do filme.

John Carter – Entre Dois Mundos (John Carter, 2012, EUA) [Crítica]

Com Taylor Kitsch, Lynn Collins, Samantha Morton, Mark Strong, Ciarán Hinds, Dominic West, James Purefoy, Bryan Cranston, Daryl Sabara e Willem Dafoe. Roteiro de Andrew Stanton, Mark Andrews e Michael Chabon, baseado no livro de Edgar Rice Burroughs. Dirigido por Andrew Stanton (Wall-E).

“John Carter – Entre Dois Mundos” é um filme de fantasia pura, mantendo os aspectos da época em que foi escrito. O planeta vermelho tem atmosfera e mantém uma temperatura agradável, tão diferente da nossa “chata” realidade. Esse mundo é povoado por dois clãs humanos e por criaturas de quatro braços que estão em guerra entre si. John (Kitsch) é levado para esse mundo por acidente, luta por necessidade, mas não quer escolher lados na batalha. Trazendo ótimos efeitos especiais (ao ponto de você acreditar nas figuras de quatro braços medindo 3,5m), e a música de Michael Giacchino (não inspirado como em “Up – Altas Aventuras”, mas marcante), o filme dura quase 2h20min nos divertindo e não cansando. Existem alguns pontos que rebaixam a produção, principalmente no tocante à tecnologia usada pelos dois povos humanos. No entanto, “John Carter” se sai muito bem dentro da própria proposta, e não merecia o fracasso retumbante que teve nos cinemas dos EUA.

Leia mais

Drive (Drive, 2011, EUA) [Crítica]

Com Ryan Gosling, Carey Mulligan, Bryan Cranston, Christina Hendricks, Ron Perlman, Oscar Isaac e Albert Brooks. Roteiro de Hossein Amini, baseado no livro de James Sallis. Dirigido por Nicolas Winding Refn.

Quando vi o trailer de “Drive” passou pela cabeça foi que seria um “Velozes e Furiosos com cérebro”. É isso e bem mais. “Drive” consegue manter o foco no desenvolvimento dos personagens sem esquecer das cenas de ação. Durante esse desenvolvimento, o filme dá um virada interessante que, apesar de anunciada, vai ter surpreender pela rapidez e a falta de misericórdia. O clima de ação, misturado com um ar noir e o roteiro criam um clima que dificilmente vai deixá-los desapontados. É tudo bem feito, passando pela atuação até os quesitos mais técnicos. E só perde pontos pelos seus dois minutos finais. Não destroem o filme, mas deixa aquela pergunta no ar de “por quê?”

Leia mais

Para cima