Postagens Etiquetadas ‘Alejandro G. Iñárritu’

Amores Brutos | TigreCast #138 | Podcast

Podcast sobre Amores Brutos (Amores Perros) de 2000, primeiro filme de Alejandro González Iñárritu. Ouve aí!


Amores Brutos | TigreCast #138 | Podcast

Si quieres hacer reír a Dios cuéntale tus planes” – Susana

Um filme visceral, que mistura a cultura mexicana, relações de poder, dor, e um tipo de amor, nem que seja pelos cachorros. Um grito contínuo de duas horas. Três histórias, três atos, uma experiência intensa. Indicado ao Oscar de 2001 na categoria de filme estrangeiro e premiado em Cannes em 2000. Hoje vamos conversar sobre o primeiro filme de Alejandro González Iñárritu: Amores Brutos (Amores Perros) de 2000.

Tiago Lira (@otigre1982), Marcelo Zagnoli (@marcelozagnoli) e Matheus Des (@matheusdes) conversam sobre a carreira de Iñárritu, Guillermo Arriaga, Gael Garcia Bernal e o nosso desconhecimento do cinema mexicano. Temas como a reflexão sobre a crueldade entre humanos e deles para os animais, lealdade – o cão é o melhor amigo do homem e oposição a deslealdade dos personagens – cinema hyperlink nesse filme excelente, mas tão triste que não gostamos de ver muitas vezes.

Leia mais

Reproduzir

O Regresso | Crítica | The Revenant, 2015, EUA

O Regresso, novo filme de Alejandro Iñárritu, é contemplativo e tecnicamente impecável, podendo se mostrar um desafio para muitos, mas que vale a pena ser apreciado.

O Regresso (2015)

Com Leonardo DiCaprio, Tom Hardy, Domhnall Gleeson, Will Poulter, Forrest Goodluck, Arthur Redcloud e Grace Dove. Roterizado por Mark L. Smith e Alejandro G. Iñárritu baseado na obra de Michael Punke. Dirigido por Alejandro G. Iñárritu (Birdman).

8/10 - "tem um Tigre no cinema"É verdade que O Regresso traz alguns desafios, sendo o principal a sua longa duração – 156 minutos – o que permite que o diretor use e abuse de longos planos, contemplações da natureza, flashbacks em misto de sonhos e poucos diálogos. Também é verdade que Iñárritu poderia ser mais breve em suas contemplações, o que não quer dizer que o filme se torne maçante em todo o tempo que ele aponta sua câmera para a natureza. O diretor busca mostrar a jornada do herói por meio de vários símbolos, sendo a duração um deles. Ainda que não agrade a todos – perfeitamente compreensível – é inegável a qualidade da direção do mexicano e sua paixão por fazer cinema.

Leia mais

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) | Crítica | Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance), 2014, EUA

Existem filmes filmes bonitos e tocantes. Mas Birdman, de Alejandro G. Iñárritu merece muito mais do que uma nota dez e é cinema puro.

Birdman or (The Unexpected Virtue of Ignorance), 2014

Com Michael Keaton, Zach Galifianakis, Edward Norton, Andrea Riseborough, Amy Ryan, Emma Stone e Naomi Watts. Roteirizado por Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Jr. e Armando Bo. Digirido por Alejandro G. Iñárritu.

10/10 - "tem um Tigre no cinema"O conceito de nota é meramente relativo. Seria o mesmo sete de um igual ao outro? Não, não é. Assim como a nota dada nessa crítica de Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância). O número máximo serve de parâmetro para definir que o filme, a direção, atuação, fotografia, montagem – e que montagem! – estão não só impecáveis, mas surpreendentes. Porém, essa deliciosa produção é uma daquelas poucas em que a nota máxima não representa seu verdadeiro valor. Esta obra crítica, ácida e que traduz a imaginação para tela merece mais que um dez, se isso fosse possível na proposta atual.

Leia mais

Para cima