0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Oscars 2016

OSCAR 2016: Com seus altos e baixos, filmes que não mereciam levar a estatueta, e a polêmica envolvendo a baixa representatividade das minorias, o Oscar ainda é o mais importante prêmio do cinema por divulgar a arte.

Então, vamos colocar aqui as críticas dos filmes indicados ao grande prêmio americano e que vai ao ar dia 28 de fevereiro.

(Atualizado em 15/fev/2016)

A GRANDE APOSTA
A Grande Aposta | Oscar 2016

A Grande Aposta é um filme hilariante e genial. E ao mesmo tempo causa asco ao espectador. O diretor Adam McKay destrinchou uma história bem complicada para os mais leigos e tentou trazer para um nível mais popular uma das piores crises financeiras da história. A maneira que ele faz isso é de bater palmas. Ao mesmo tempo não deixa de lado os culpados de lado nessa questão. É aí que o espectador tem vontade não de levantar e bater palmas, mas sim bater no primeiro banqueiro que encontrar.

A GRANDE APOSTA é indicado nas categorias Melhor Filme, Melhor Diretor (Adam McKay), Melhor Ator Coadjuvante (Christian Bale), Melhor Roteiro Adaptado (Charles Randolph e Adam McKay) e Melhor Montagem (Hank Corwin).

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/a-grande-aposta-critica/

PONTE DE ESPIÕES
Ponte de Espiões | Oscar 2016

Uma das magias da arte do cinema é ser universal, ainda que certos personagens e histórias não falem exatamente sobre nós. Quase sessenta anos nos separam dos eventos Ponte dos Espiões e da Guerra Fria. Milhares de quilômetros entre o nosso país e os envolvidos naquele conflito. Ainda assim, podemos achar paralelos e perceber que a história tende a se repetir. Vivemos num mundo de extremos, onde parece que se você não está do nosso lado é automaticamente tachado de uma dezena de termos depreciativos. Essas posições polarizadas deixam pouco espaço para o diálogo, criando uma cortina de ódio perigosa e talvez sem volta. Olhar o outro lado e perceber que estamos lidando com pessoas é a maior mensagem do novo filme de Spielberg, um dos maiores fãs da humanidade.

PONTE DE ESPIÕES é indicado nas categorias Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (Mark Rylance), Melhor Roteiro Original (Matt Charman, Ethan Coen e Joel Coen), Melhor Trilha Sonora Original (Thomas Newman), Melhor Mixagem de Som e Melhor Direção de Arte.

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/ponte-de-espioes-critica/

MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA
Mad Max: Estrada da Fúria | Oscar 2016

George Miller é o maior fã de Mad Max, universo que ele próprio criou. O septuagenário diretor então esperou vários anos para mostrar ao mundo e aos outros fãs a visão definitiva desse universo. E a missão foi cumprida com Mad Max: Estrada da Fúria. Num misto de reboot e continuação, o diretor atualiza o seu estilo, ao mesmo tempo em que o mantém. São sequências impressionantes, muita velocidade e personagens que, mesmo não sendo muito aprofundados, cativam o espectador em uma verdadeira aula de como se fazer um blockbuster. Durante as duas horas, você será levado para um mundo que, apesar de futurista, tem um discurso familiar para nós, enquanto embarcamos numa aventura tão insana e louca quanto um guitarrista que toca seu instrumento presa a um caminhão.

MAD MAX: ESTRADA DA FÚRIA é indicado nas categorias Melhor Filme, Melhor Diretor (George Miller), Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som, Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia, Melhor Maquiagem, Melhor Figurino, Melhor Montagem e Melhores Efeitos Especiais.

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/mad-max-estrada-da-furia-critica/

PERDIDO EM MARTE
Perdido em Marte | Oscar 2016

Se soubermos onde olhar, podemos notar que cada vez mais o que chamávamos de ficção científica está chegando perto da nossa realidade. Próteses, olhos biônicos e impressoras 3D são alguns exemplos do que mentes mais brilhantes que a maioria de nós escreveram décadas atrás, e agora presenciamos. A arte é um método de acompanhar o que acontece no mundo, mesmo que poeticamente, e por isso Perdido em Marte não parece mais tão absurdo. A tecnologia empregada nas missões é algo que estamos conhecendo, e o próprio ambiente terrestre nos parece bem familiar. Com a dose certa de aventura e ciência, o filme agradará um público variado enquanto insere mesmo algumas ideias mais que necessárias na nossa época.

PERDIDO EM MARTE é indicado nas categorias Melhor Filme, Melhor Ator (Matt Damon), Melhor Roteiro Adaptado (Drew Goddard), Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som, Melhor Direção de Arte e Melhores Efeitos Visuais.

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/perdido-em-marte-critica/

SPOTLIGHT: SEGREDOS REVELADOS
Spotlight | Oscar 2016

Umas das primeiras declarações em Spotlight: Segredos Revelados mostra o aspecto geral de como as coisas funcionam contra uma instituição tão poderosa quanto a Igreja Católica. Um policial pergunta ao outro que denúncia poderia existir contra um clérigo. Há um pulo de 30 anos. Quantos choros e ranger de dentes marcaram essas décadas? O filme investigativo e um tanto longo de Tom McCarthy vem num momento interessante da profissão, onde qualquer assunto é definido pelas chamadas e listas que conseguem o nosso clique por meio do sensacionalismo. É uma lição de como podemos e devemos fazer mais.

SPOTLIGHT: SEGREDOS REVELADOS é indicado nas categorias Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (Mark Ruffalo), Melhor Atriz Coadjuvante (Rachel McAdams), Melhor Roteiro Original (Josh Singer e Tom McCarthy) e Melhor Montagem (Tom McArdle).

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/spotlight-segredos-revelados-critica/

O REGRESSO
O Regresso | Oscar 2016

É verdade que O Regresso traz alguns desafios, sendo o principal a sua longa duração – 156 minutos – o que permite que o diretor use e abuse de longos planos, contemplações da natureza, flashbacks em misto de sonhos e poucos diálogos. Também é verdade que Iñárritu poderia ser mais breve em suas contemplações, o que não quer dizer que o filme se torne maçante em todo o tempo que ele aponta sua câmera para a natureza. O diretor busca mostrar a jornada do herói por meio de vários símbolos, sendo a duração um deles. Ainda que não agrade a todos – perfeitamente compreensível – é inegável a qualidade da direção do mexicano e sua paixão por fazer cinema.

O REGRESSO é indicado nas categorias Melhor Filme, Melhor Diretor (Alejandro G. Iñárritu), Melhor Ator (Leonardo DiCaprio), Melhor Ator Coadjuvante (Tom Hardy), Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som, Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia (Emmanuel Lubezki), Melhor Maquiagem, Melhor Figurino, Melhor Montagem (Stephen Mirrione) e Melhores Efeitos Visuais.

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/o-regresso-critica/

BROOKLYN
Brooklyn | Oscar 2016

O Oscar não é parâmetro para nada e já discutimos isso tantas vezes. Na lista dos indicados sempre aparece um filme que nos perguntamos o porquê de estar lá. Podem ser boas surpresas – como foi o ótimo Selma – ou uma a coleção de clichês Brooklyn. Há bons momentos na produção britânica, que vão desde quesitos técnicos e a atuação da protagonista. Porém não é o suficiente para arrebatar os corações de quem já viu histórias de amor, ainda que dentro desse nicho ache defensores. No fim, é uma ovação tão grande aos EUA que parece ter sido feito apenas para agradar aquela audiência.

BROOKLYN é indicado nas categorias Melhor Filme, Melhor Atriz (Saoirse Ronan) e Melhor Roteiro Adaptado.

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/brooklyn-critica/

O QUARTO DE JACK
O Quarto de Jack | Oscar 2016

Imagine o seu universo hoje. Onde você pode ir a partir da sua casa: fazer viagens, visitar amigos, ir ao cinema, visitar seus parentes, namorar, ir ao cinema. Imagine agora alguém cujo universo se resume a 10m². Esse exercício é posto para nós em O Quarto de Jack, um drama que tenta traduzir em imagem e palavras as descobertas de uma criança num assustador, novo, barulhento e infinito mundo. Emma Donoghue e Lenny Abrahamson descrevem um cenário assustador que te fará sentar à beira da cadeira, ao mesmo tempo que é cheio de lirismos e belezas.

O QUARTO DE JACK é indicado nas categorias Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz (Brie Larson) e Melhor Roteiro Adaptado (Emma Donoghue).

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/o-quarto-de-jack-critica/

DIVERTIDA MENTE
Divertida Mente | Melhores de 2015

Por trás do mundo multicolorido de Divertida Mente está uma evolução como nunca vista antes na Pixar. Outros filmes deles te alegraram, emocionaram e, com relativa facilidade, te fizeram chorar. Explorando o espectador dessa vez de maneira diferente, a animação é a coisa mais madura feita pelo estúdio. Com uma abordagem original, o conto sobre o sobre crescer e o amadurecer traz personagens cativantes, uma direção firme e um roteiro impecável do começo ao fim. Se em outros momentos a Pixar te comoveu pela nostalgia, aqui ela mostra que seus roteiristas entendem o ser humano, e como temos que passar por uma série de dificuldades, mostrando dificuldade que é amadurecer.

DIVERTIDA MENTE é indicado nas categorias Melhor Roteiro Original e Melhor Animação.

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/divertida-mente-critica/

ANOMALISA
Anomalisa | Oscar 2016

Tudo é muito estranho em Anomalisa. Não é a típica animação que você está acostumado. Se hoje há uma tentativa de fazer você se perguntar se aquilo que está vendo é CGI ou filme, Kaufman e Johnson apresentam elementos claramente fora do eixo como o escritor ouve e vê as pessoas a seu redor. Durante todo o primeiro ato a audiência se sentirá incomodada com vozes masculinas e iguais saindo de todos os outros personagens – sejam mulheres ou crianças – e é nesse questionamento que o filme não sairá da sua cabeça. E não se preocupe, as respostas virão. Mesmo que demore um pouco.

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/anomalisa-critica/

ANOMALISA é indicado na categoria Melhor Animação.

OS OITO ODIADOS
Os Oito Odiados | Oscar 2016

Os Oito Odiados é longo, não economiza película – literalmente, já que a produção foi original concebida em 70mm, apesar de não podermos vê-la assim no Brasil. Por isso acaba sendo contemplativo e até difícil de acompanhar. Porém, é uma produção interessante desde a tipografia usada no título do filme, na épica trilha de Ennio Morricone, no desenvolvimento dos personagens pelos diálogos e no belíssimo contraste do vermelho com o branco. O clima de mistério envolvente nesse faroeste invernal – algo bem incomum no gênero – não é o melhor trabalho do diretor, mas ainda é um bom filme com o já tradicional humor e ação de Quentin Tarantino.

OS OITO ODIADOS é indicado nas categorias Melhor Atriz Coadjuvante (Jennifer Jason Leigh), Melhor Trilha Sonora (Ennio Morricone) e Melhor Fotografia (Robert Richardson).

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/os-oito-odiados-critica/

CREED: NASCIDO PARA LUTAR
Creed | Oscar 2016

Fazendo aquela rápida retrospectiva de 2015, ano de origem do filme, Creed: Nascido Para Lutar entra naquele rol de produções milionárias, com apoio de grandes produtores e estúdios, mas com alma. Verdadeiramente o novo round de uma franquia já querida por tantos tem um dos elementos que mais criticamos em Hollywood: as continuações. Porém, devemos dar admitir que esse filme renova ao mesmo tempo que honra o material original. Sem perder o foco ao encontrar sua própria assinatura e caminho.

CREED: NASCIDO PARA LUTAR é indicado na categoria Melhor Ator Coadjuvante (Sylvester Stallone).

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/creed-critica/

SICARIO: TERRA DE NINGUÉM
Sicario: Terra de Ninguém | Oscar 2016

Seria um exercício interessante assistir o último filme de Spielberg e logo depois a nova produção de Denis Villeneuve, puramente pela proximidade das estreias. Enquanto um se mostra um fã da humanidade o que temos em Sicario: Terra de Ninguém é o oposto. Um filme tenso do começo ao fim, sem espaço para descanso e que mostra o pior lado do ser humano e como ser pego no fogo cruzado pode nos afetar. Discussões entre moralidade, leis e o que é certo e errado serão seus companheiros nessa desventura. Enquanto acompanhamos personagens detestáveis que dobram a lei como bem querem a reflexão que fica é o que faríamos no lugar deles.

SICARIO: TERRA DE NINGUÉM é indicado nas categorias Melhor Trilha Sonora (Jóhann Jóhannsson), Melhor Edição de Som e Melhor Fotografia (Roger Deakins).

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/sicario-terra-de-ninguem-critica/

A GAROTA DINAMARQUESA
A Garota Dinamarquesa | Oscar 2016

Tom Hooper é tão aficionado em contar histórias baseadas em fatos reais – como percebemos em três dos seus filmes – que em A Garota Dinamarquesa esqueceu de estar fazendo um filme. É uma história necessária para esses tempos de representatividade, sem sombra de dúvida. Mas é importante nos questionarmos a maneira que a história pioneira sobre uma transgênero chegou até nós. Há momentos belos, de dor e dúvida na trajetória da dupla de protagonistas, o que justificava um tom menos histórico e mais poético. Todos os elementos estavam lá, e é uma pena que o diretor preferiu não os usar.

A GAROTA DINAMARQUESA é indicado nas categorias Melhor Ator (Eddie Redmayne), Melhor Atriz Coadjuvante (Alicia Vikander), Melhor Direção de Arte e Melhor Figurino (Paco Delgado).

STAR WARS: EPISÓDIO VII – O DESPERTAR DA FORÇA
Star Wars: O Despertar da Força | Oscar 2016

Star Wars não é apenas um filme: é um evento. Episódio VII – O Despertar da Força é Star Wars na sua definição mais pura. A nova história se passa em um futuro usado e empoeirado, têm personagens carismáticos, uma história interessante, lutas de sabre de luz com intenção – e não um sequência de danças coreografadas – e responde àquela pergunta que, no seu âmago, cada fã se fez um dia: onde os nossos queridos personagens estão agora. Além disso, a produção abre caminho para uma nova jornada respeitando suas origens e encontra alguns meios para conquistar o coração dos fãs. Essa sim é a história que gostaríamos e merecíamos ver – e que oportunidade é estarmos vivos para recebê-la!

STAR WARS: EPISÓDIO VII – O DESPERTAR DA FORÇA concorre nas categorias Melhor Trilha Sonora (John Williams), Melhor Edição de Som, Melhor Mixagem de Som, Melhor Montagem (Maryann Brandon e Mary Jo Markey) e Melhores Efeitos Visuais.

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/star-wars-episodio-viii-o-despertar-da-forca-critica/ e o podcast em http://umtigrenocinema.com/star-wars-o-despertar-da-forca-tigrecast-120-podcast/

007 CONTRA SPECTRE
007 Contra Spectre | Oscar 2016

Depois de três filmes mais densos e sombrios Sam Mendes conseguiu transformar Daniel Craig no clássico 007. Por um lado, será a alegria dos fãs mais tradicionais da franquia; por outro, dinamita todo o caminho percorrido desde 2006. 007 Contra Spectre poderia fechar com chave de ouro uma nova visão para o espião mais reconhecido do mundo. Ao invés disso o diretor preferiu tomar o caminho mais fácil revisitando demasiadamente seus antecessores com planos de dominação globais, a donzela em perigo, capangas com características pitorescas e um vilão caricato e megalomaníaco. Aqui a homenagem vem junto de uma face de retrocesso.

007 CONTRA SPECTRE é indicado na categoria Melhor Trilha Sonora Original (“Writing’s on the Wall” por Jimmy Napes e Sam Smith).

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/007-contra-spectre-critica/

CINDERELA
Cinderela | Oscar 2016

Você sairá vislumbrando da sessão de Cinderela. Além disso, é um filme sincero, correto e extremamente bem feito, desde o figurino, passando pela fotografia e efeitos especiais e práticos. Mas não vai muito além disso. A inspiração do clássico desenho de 1950 está em vários elementos do filme, não sendo propriamente um remake, e vai à contramão de dar um ar sombrio, como algumas produções tem feito. É a mesma história, têm os mesmo conflitos, o mesmo tudo, com apenas uma ligeira diferença no trato da protagonista e o príncipe. Por isso, será lembrado mais pelo design de produção do que pela história em si.

CINDERELA é indicado na categoria Melhor Figurino (Sandy Powell).

Leia a crítica completa em http://umtigrenocinema.com/cinderela-critica/

CINQUENTA TONS DE CINZA
Cinquenta Tons de Cinza | Oscar 2016
Sem dúvidas, Cinquenta Tons de Cinza tem um pouco de novidade no cinema, pelo menos para as massas. Essa aura que envolve a produção vem do grande sucesso e falatório da obra original de E. L. James. E pelo menos no que foi para as telas, a questão tão atraente da pornografia do ponto de vista feminino é mais sugerida do que vista. O que não é, necessariamente, um problema. A verdade é que, no seu cerne, essa é mais uma história como tantos outros romances, com o diferencial de que a protagonista é amarrada aqui e ali, experimentando e compartilhando os prazeres do sexo.

CINQUENTA TONS DE CINZA é indicado na categoria Melhor Música Original (“Earned It” por The Weeknd, Belly, Jason Quenneville e Stephan Moccio).

Leia a crítica em http://umtigrenocinema.com/cinquenta-tons-de-filme-critica/

FILHO DE SAUL
Filho de Saul | Oscar 2016

Falamos rapidamente sobre o indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro no TigreCast Especial #02 | Ouça em http://umtigrenocinema.com/39a-mostra-internacional-de-cinema-de-sao-paulo-parte-1-tigrecast-especial-02-podcast/

O ABRAÇO DA SERPENTE
O Abraço da Serpente | Oscar 2016

Falamos rapidamente sobre o indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro no TigreCast Especial #03 | Ouça em http://umtigrenocinema.com/39a-mostra-internacional-de-cinema-de-sao-paulo-parte-2-tigrecast-especial-03-podcast/

[críticas, comentários e voadoras no baço]
• email: contato@umtigrenocinema.com
• twitter: @tigrenocinema
• fan page facebook: http://www.facebook.com/umtigrenocinema
• grupo no facebook: https://www.facebook.com/groups/umtigrenocinema/
• Google Plus: https://www.google.com/+Umtigrenocinemacom
• Instagram: http://instagram/umtigrenocinema

http://www.patreon.com/tigrenocinema

OU
Agora, você não precisa mais de cartão internacional!

 

Volte para a HOME