Arquivar para julho, 2016

Quanto Mais Quente Melhor | TigreCast #144 | Podcast


Quanto Mais Quente Melhor | TigreCast 144

Well, nobody’s perfect!” – Osgood Fielding III

Era 1959, época de ouro de Hollywood, grandes épicos estavam sendo apresentados para o público. Imaginem como era conservadora aquela sociedade e como Billy Wilder foi corajoso ao mostrar homens se vestindo de mulheres, fazendo uma comédia sim um tanto vulgar, mas que mostra como era versátil o diretor. Hoje vamos relembrar uma das comédias mais celebradas do cinema americano: Quanto Mais Quente, Melhor (Some Like It Hot, 1959), dos saudados Billy Wilder, Marilyn Monroe, Tony Curtis e Jack Lemmon.

No TigreCast de hoje, Tiago Lira, Cliff e Marcelo Zagnoli falam da versalidade do diretor que já apareceu por aqui três vezes, da filmografia do ano de 1959, da beleza de Marilyn Monroe em oposição à sua capacidade de memorizar falas e da carreira do trio dessa comédia ousada e atemporal.

Leia mais

Reproduzir

Jason Bourne | Crítica | Jason Bourne (2016) EUA

Jason Bourne (2016)

Elenco: Matt Damon, Tommy Lee Jones, Alicia Vikander, Vincent Cassel, Julia Stiles, Riz Ahmed | Roteiro: Paul Greengrass, Christopher Rouse | Direção: Paul Greengrass (Voo United 93)

7,5 - "tem um Tigre no cinema"Jason Bourne volta homenageando o próprio passado e é um presente para seus fãs.

O maior desafio de Paul Greengrass era tornar Bourne relevante novamente. É um exagero dizer que o novo filme revitaliza a franquia, quando em si ele a homenageia e apenas a atualiza com elementos conhecidos por nós. Sendo essa a terceira vez que dirige o personagem, Jason Bourne é tudo que já vimos desde o filme de 2002, com os mesmos arcos dramáticos, os mesmos conflitos e o mesmo clichê do chefe que tenta esconder seus planos dos comandados. Em suma, é Bourne: muito intenso, com câmeras tremendo, uma sensação de realismo e o equilíbrio que são marcas do diretor.

Leia mais

O Bom Gigante Amigo | Crítica | The BFG (2016) EUA

O Bom Gigante Amigo (2016)

Com Mark Rylance, Ruby Barnhill, Penelope Wilton, Jemaine Clement, Rebecca Hall, Rafe Spall, Bill Hader. Roteirizado por Melissa Mathison, baseado no romance de Roald Dahl. Dirigido por Steven Spielberg (Ponte dos Espiões).

Pensado para audiências muito infantis, O Bom Gigante Amigo tem belos momentos visuais, mas falha em contar uma história interessante.

4/10 - "tem um Tigre no cinema"A história de Roald Dahl provavelmente encantou muitas crianças, e talvez tenha ampliado seu alcance com a animação de 1989. E nessa época nostálgica que vivemos – olhe ao seu redor a quantidade de filmes que trazem clássicos da infância ou os homenageiam – parecia certeira a opção de Spielberg em trazer para o cinema O Bom Gigante Amigo. Porém, nem o diretor e nem a roteirista Melissa Mathison conseguem transformar o original em algo interessante durante a projeção, apostando no CGI e no belo visual. É um filme com um escopo pequeno, agradando apenas crianças muito novas – de dez anos, no máximo – mas que funcionaria melhor como um episódio curto para a televisão.

Leia mais

Um Dia Perfeito | Crítica | A Perfect Day (2016) Espanha

Um Dia Perfeito (2016)

Com Benicio del Toro, Tim Robbins, Olga Kurylenko, Mélanie Thierry, Fedja Štukan. Roteirizado por Fernando León de Aranoa, baseado no original de Dejarse Llover. Dirigido por Fernando León de Aranoa.

Mesmo sem dar um tiro ou fazer uma explosão, Um Dia Perfeito é um filme de guerra tenso, mas que consegue equilibrar outros elementos da vida.

8/10 - "tem um Tigre no cinema"A maioria dos filmes sobre conflitos armados buscam deixar a audiência num estado de tensão, mas poucos conseguem fazer isso sem dar um tiro ou mostrar explosões. Um Dia Perfeito mantém o espectador na beira da poltrona, mas equilibra muito bem outros elementos. O drama é presente, mas, assim como a vida de qualquer um, tem momentos doces e engraçados. Essas vinte e quatros horas que os personagens convivem atrás de coisas tão simples poderia facilmente cair para o formular, com grandes perseguições e muitas armas sendo apontadas e ameaças sendo feitas. É uma quebra interessante que reflete o lado bom da humanidade que existe mesmo dentro de um cenário terrível.

Leia mais

Scarface | TigreCast #143 | Podcast

Scarface | TigreCast 143

Say hello to my litte friend!” – Tony Montana

Hoje vamos falar do sonho americano… com uma pitada de vingança. Vamos pela primeira vez para 1983, ano de um filme muito popular, muito violento e que marcou o cinema americano naquela década. Vamos falar de uma refilmagem, afinal de contas Hollywood nunca escapa disso, mas é um ótimo exemplo: Scarface, do diretor Brian de Palma, com roteiro de Oliver Stone e contando no elenco com a excelente Michele Pfeiffer e o grande Al Pacino.

Hoje com Tiago Lira (@otigre1982) e Cliff conversando sobre 1983, a trilha eletrônica de Giorgio Moroder, de movimentos de câmera e até um pouco sobre a história americana.

Leia mais

Reproduzir

Dois Caras Legais | Crítica | The Nice Guys (2016) EUA

Dois Caras Legais (2016)

Com Russell Crowe, Ryan Gosling, Angourie Rice, Matt Bomer, Margaret Qualley, Keith David e Kim Basinger. Roteirizado por Shane Black e Anthony Bagarozzi. Dirigido por Shane Black (Homem de Ferro 3).

Dois Caras Legais é engraçado, subverte um tema muito conhecido e ainda consegue ser socialmente relevante.

9/10 - "tem um Tigre no cinema"Poucos filmes conseguem misturar uma série de gêneros, e quando a comédia é o tema principal, parece mais difícil não apelar para o pastelão. Pois Dois Caras Legais é umas das melhores comédias do ano, incorporando temas nonsense e outros vindos do cinema noir, subverte o tira bom e tira mau, e ainda consegue encaixar um drama familiar sem ficar expondo isso a todo o momento. Há também um tema eco-político que, na brincadeira, faz uma crítica ao capitalismo e à indústria automobilística americana. Ritmo, piadas e a canastrice são pontos altos da produção que veio para revitalizar o estilo buddy cop.

Leia mais

A Lenda de Tarzan | Crítica | The Legend of Tarzan (2016) EUA

A Lenda de Tarzan (2016)

Com Alexander Skarsgård, Samuel L. Jackson, Margot Robbie, Djimon Hounsou, Jim Broadbent, Christoph Waltz. Roteirizado por Adam Cozad, Craig Brewer, baseado na obra de Edgar Rice Burroughs. Dirigido por David Yates (Harry Potter e as Relíquias da Morte).

A Lenda de Tarzan vem para modernizar o clássico da literatura, numa história sem ritmo e desinteressante.

5/10 - "tem um Tigre no cinema"Depois de encarnações dramáticas e infantis, o personagem mais conhecido de Edgar Rice Burroughs – maior que o próprio autor – volta em A Lenda de Tarzan, modernizando o personagem título. É um termo terrível que, basicamente, diz ser uma produção com mais tiros e socos do que os anteriores. Talvez a nossa sociedade não quisesse ouvir um grito homem-macaco no cinema, nem algo tão denso quanto à produção de 1984. Então, o filme vai pelo caminho mais fácil, com personagens estereotipados, sem tons de cinza, sempre nos extremos da bondade ou maldade. Ainda que tenha uma história interessante, mesmo que simples, há decisões questionáveis na direção, o que prejudica o ritmo e a diversão.

Leia mais

Aladdin | TigreCast #142 | Podcast


Aladdin | TigreCast #142 | Podcast

You ain’t never had a friend like me!” – Gênio

Venho de um lugar onde sempre se vê uma caravana passar. É uma imensidão, um calor e exaustão. Como é bárbaro o nosso lar. Sopram ventos do Leste e o sol vem do Oeste. Seu camelo quer descansar. Pode vir e pular, no tapete voar. A Noite árabe vai chegar… assim como chegou 1992 e Aladdin, animação da Disney dirigida por Ron Clements e John Musker que tem o saudoso Robin Williams num dos seus melhores trabalhos

No podcast, Tiago Lira (@tiagoplira), Cliff, Marcelo Paradella (@marcelozagnolli) e Thiago Damasceno discutem Tim Rice, Howard Echman e a polêmica das músicas um tanto adultas. Da ótima filmografia de 1992 eda carreira dos diretores e elenco. Discutimos também a renovação interna da Disney, como a divisão de desenho a mão morreu e o que é a black friday que assolou Aladdin. Como é difícil fazer filmes no estúdio, por que tantos créditos de história e fazem um adendo com a divinamente dublagem original enquanto relembrar uma história simples, porém cativante desse filme que é um exemplo do Paradoxo Christopher Walken.

Leia mais

Reproduzir

Caça-Fantasmas | Crítica | Ghostbusters (2016) EUA

Caça-Fantasmas (2016) | Crítica

Com Melissa McCarthy, Kristen Wiig, Kate McKinnon, Leslie Jones, Charles Dance, Michael Kenneth Williams e Chris Hemsworth. Roteirizado por Katie Dippold e Paul Feig. Dirigido por Paul Feig (As Bem-Armadas).

Sem medo de fantasmas e nem de comparações, Caça-Fantasmas é uma homenagem ao clássico dos anos 1980, mas também percorre um caminho independente e passa uma importante mensagem.

7,5 - "tem um Tigre no cinema"Pode ser difícil, mas tente curtir Caça-Fantasmas dentro de sua proposta: divertir. E nisso o diretor Paul Feig se sai extremamente bem, e já a terceira vez seguida que ele o faz. O filme se aventura numa nova história, o que rotula a produção mais um reboot que um remake, com personagens interessantes – uns mais que os outros – que é não tem a intenção de ser inovadora. Mas quebra paradigmas e passa uma mensagem importante. Mais importante que a nostalgia, presente em pequenas doses, a nova aventura com protagonistas mulheres abre uma discussão enquanto faz piada de como elas foram tratadas na sociedade e no cinema durante vários anos.

Leia mais

Florence: Quem é Essa Mulher? | Crítica | Florence Foster Jenkins (2006) Reino Unido – França

Florence: Quem é Essa Mulher? (2016)

Com Meryl Streep, Hugh Grant, Simon Helberg, Nina Arianda e Rebecca Ferguson. Roteirizado por Nicholas Martin. Dirigido por Stephen Frears (Philomena).

Florence: Quem é Essa Mulher? fala sobre a realização de sonhos e é uma belo filme que eleva o espírito de quem assiste.

7/10 - "tem um Tigre no cinema"O showbiz sempre foi uma bajulação, e Florence: Quem é Essa Mulher? também mostra essa pintura. Mas essa é apenas um parte do retrato dessa socialite que não era só apaixonada pela música, mas vivia por ela. A nova produção de Stephen Frears é um retrato sensível e belo de uma pessoa que cantava com o coração, ainda que suas cordas vocais não refletissem tanto amor. O diretor consegue prever a reação da plateia nos momentos de comédia, ora rindo com ela e ora a criticando. Quase como um conto de fadas, a história da pior cantora lírica do mundo fala também sobre superação e como podemos encontrar belezas nos lugares mais improváveis.

Leia mais

Sangue Negro | TigreCast #141 | Podcast

Sangue Negro | TigreCast #141 | Podcast

I… drink… your… milkshake!” – Daniel Plainview

Espero que vocês nos perdoem por abordar outro filme tão… digamos escuro como petróleo. O ano é 2007 e o diretor Paul Thomas Anderson, um dos nosso preferidos na atualidade. Ganhou dois Oscars em 2008, e posso chamar de novo clássico sem pestanejar. Hoje é dia de conversarmos sobre Sangue Negro (There Will Be Blood), filme com Daniel Day-Lewis e Paul Dano no elenco.

Hoje com Tiago Lira (@tiagoplira), Cliff, Marcelo Zagnolli (@marcelozagnolli) e Matheus Des (@matheusdes). Dê o play!

Leia mais

Reproduzir

Julieta | Crítica | Julieta (2016) Espanha

Julieta (2016)

Com Emma Suárez, Adriana Ugarte, Sara Jiménez, Priscilla Delgado, Rossy de Palma, Michelle Jenner, Inma Cuesta, Darío Grandinetti e Daniel Grao. Roteirizado por Pedro Almodóvar, baseado na obra de Alice Munro. Dirigido por Pedro Almodóvar (A Pele que Habito).

Em Julieta, Almodóvar volta a dar força ao papel da mulher, dessa vez focando no duro trabalho que é ser mãe.

7/10 - "tem um Tigre no cinema"De volta para mostrar a força de uma mulher, Julieta é uma homenagem ao papel de mãe e uma luta contra a letargia do luto e o peso da idade. Numa sociedade que o envelhecimento da mulher é visto como algo proibido – no cinema isso é bem claro quando uma atriz de 30 anos seria velha demais para ser par romântico de um cinquentão – Almodóvar trabalha delicadamente com o tema, ainda que se perca na construção da narrativa. O começo da história é muito interessante, e a conclusão marcante, mesmo que irrite parte da plateia. O grande problema fica entre esses pontos, onde a jornada não foi tão interessante quanto o desfecho.

Leia mais

Para cima