Arquivar para dezembro, 2011

Super 8 (Super 8, 2011, EUA) [Crítica]

Com Joel Courtney, Elle Fanning, Kyle Chandler, Ron Eldard e Riley Griffiths. Escrito e Dirigido por J.J. Abrams (Star Trek).

Certos filmes mexem conosco pela nostalgia. “Super 8” é um dos filmes mais divertidos e pueris do ano. Os pais deveriam levar os filhos para ver filmes assim. E não como eu fiz, obrigando meu pai a ver tantos enlatados da Xuxa. Hoje, me arrependo muito. Mas J.J. Abrams nos deu uma visão da sua infância, que também remeteu à minha, homenageando “Os Goonies”, “ET”, e “Contatos Imediatos do Terceiro Grau”.

Leia mais

Top11: Os Melhores de 2011 [T11#002]

Como sempre, quando não trabalhamos com isso, acabamos perdendo vários filmes. O fato de ter que escolher o que ver, para direcionar gastos, somado que o Brasil atrasa vários lançamentos, enquanto outros nem aparecem por aqui, a lista é incompleta. Então, ela se baseia só que foi lançado em 2011 no seu país de origem. Por exemplo, “Cisne Negro” (Black Swan), apesar de ser lançado aqui no Brasil em 2011, é um filme de 2010; e “Drive” é o mesmo princípio. Os 3 primeiros da lista dividem igualmente a posição, e foi bem difícil diferenciá-los (editado em 18/03/2012).

11Missão: Impossível – Protocolo Fantasma
10A Separação
9 – X-Men: Primeira Classe
8O Homem que Mudou o Jogo
7Drive
6O Palhaço
5Rango
4O Artista
3 – Árvore da Vida
2 – Meia-Noite em Paris
1 – Melancolia

Menções honorosas:
Os Agentes do Destino
A pele que habito
Planeta dos Macacos: A Origem
Super 8

E qual é a lista de vocês?

[Promoção] Ganhe 10 stickers do Getglue! {RESULTADO!}

Parabéns ao ganhador @ArilsonGomes. Não deixem de acompanhar o site e o perfil, porque dia 01/01/2012 começa a novo promoção, que vai ser dez vezes melhor! Link do sorteio http://beta.sorteie.me/r/gYJ

Missão Madrinha de Casamento | Crítica | Bridesmaid, 2011, EUA

Missão Madrinha de Casamento tem alguns momentos engraçados e outros muito grosseiros. Mas é responsável por algumas risadas.

Missão Madrinha de Casamento

Com Kristen Wiig, Maya Rudolph, Rose Byrne, Melissa McCarthy, Wendi McLendon-Covey, Ellie Kemper, Chris O’Dowd e Jill Clayburgh. Escrito por Annie Mumolo e Kristen Wiig. Dirigido por Paul S. Feig.

Estava procurando boas comédias que foram lançadas esse ano. Perdi alguns filmes, e topei com esse que teve críticas boas e medianas. Com cenas engraçadas e situações que só mulheres passariam, a produção agrada. Mas sentimos falta  algumas coisas que dariam mais qualidade ao filme, isso por ser a estreia de Anni Mumolo e Kristen Wiig no roteiro, e de Paul S. Feig na direção.

Leia mais

Um Feliz Natal!

São os votos dos seus amigos, T-600 Noel e Noel Zumbi!

Cowboys e Aliens (Cowboys & Aliens, 2011, EUA) [Crítica]

 

Com  Daniel Craig, Olivia Wilde, Harrison Ford, Sam Rockwell e Clancy Brown. Escirto por Damon Lindelof, Alex Kurtzman, Roberto Orci, Mark Fergus e Hawk Ostby. Baseados nos quadrinhos da Dark Horse, de Scott Mitchell Rosenberg. Dirigido por Jon Favreau (Homem de Ferro).

“Cowboys e Aliens” é, acima de tudo, um filme com diversão garantida. Bem diferente dos filmes que dizem que temos que “desligar o cérebro”, a ação e a situação totalmente maluca que nos é proposta não vai te entregar uma história tola, mas com alguns clichês. Com um roteiro escrito por cinco pessoas, é de se esperar o pior. Isso prejudicou um tanto a projeção. Um pouco mais de cuidado e a produção deslancharia. Mas existem outros detalhes que vale a pena citar. Leia mais

Te Amarei Para Sempre (The Time Traveler’s Wife, 2009, EUA) [Crítica]

Não se deixe levar pela opção brasileira de açucarar o título, pois com o nome original diz “A Mulher do Viajante do Tempo” é bem mais importante que apenas Te Amarei Para Sempre.

Te Amarei Para Sempre

Com Eric Bana, Rachel McAdams, Ron Livingston e Stephen Tobolowsky. Escrito por Jeremy Leven (Don Juan DeMarco) e Bruce Joel Rubin (Ghost – Do Outro Lado da Vida). Baseado no romance de Audrey Niffenegger. Dirigido por Robert Schwentke (Plano de Voo).

Não se deixe levar pela opção brasileira de açucarar o título. O nome original é “A Mulher do Viajante do Tempo”! Nerds de plantão como eu se levaram pelo título original. Suas namoradas/esposas, pelo título brasileiro (nem em Portugal mexeram no título). Foi um risco da distribuidora, e digo que sempre um filme tem que manter seu título original (talvez ache três exceções). Apesar de ser um filme romântico, o título “A Mulher do viajante do tempo” mantém a importância tanto ao viajante Henry (Bana) e Clare (Rachel). E acredito que original à todos. Enfim. Leia mais

Sobre a periodicidade das críticas

Falar sobre cinema é uma coisa fascinante. Gosto o bastante de conversar com vocês sobre isso, nem que seja por simples replies do Twitter, ou nos comentários. No começo, parar criar volume e material, quis publicar uma crítica por dia, menos nos fins de semana. Consegui fazer isso com 38 filmes comentados. Se lerem desde a primeira, podem ver que o jeito de escrever melhorou. Com o curso de “Teoria, Linguagem e Crítica” com o Pablo Villaça, acredito ter melhorado mais (ou ter ficado mais chato). Agora vou diminuir um pouco o ritmo. Preciso fazer isso pra ajustar essa paixão com as outras coisas que gosto: esposa, família  e amigos. Além disso, tenho que ter tempo de ver os extras do filmes que tenho em casa! Isso também faz parte do universo fílmico.

Mas não vou abandonar esse espaço que gosto tanto. Para tal, vou publicar aqui 2 ou 3 críticas por semana. E me cobrem por isso. Por enquanto, obrigado pelas mais de 1.000 visitas nesses dois meses. Continuem participando da Promoção que vai sortear 10 stickers do Getglue. E aproveitem,  porque o prêmio de ano novo, que pretendo fazer no começo de janeiro, será 10 vezes melhor! E não, não serão 100 stickers.

Até a semana, com mais 2 filmes… quem sabe 3.

“El tipo puede cambiar de todo: de cara, de casa, de famila, de novia, de religión, de Dios… pero hay una cosa que no puede cambiar… no puede cambiar… de pasión.”

Sem Limites (Limitless, 2011, EUA) [Crítica]

Com Bradley Cooper, Abbie Cornish e Robert De Niro. Escrito por Leslie Dixon, baseado no livro de Alan Glynn. Dirigido por Neil Burger (O Ilusionista).

“Sem Limites” é um filme competente dentro de sua proposta. É inteligente e divertido até certo ponto. Com jogadas interessantes de câmeras, luzes e cores, o filme consegue chamar a atenção, mas não torna o filme um primor. Leia mais

Rango (Rango, 2011, EUA) [Crítica]

Com Johnny Depp, Isla Fisher, Abigail Breslin, Alfred Molina, Bill Nighy e Ned Beatty. Escrito por John Logan (O Aviador), Gore Verbinski e James Ward Byrkit. Dirigido por Gore Verbinski (Piratas do Caribe).

Uma das melhoras coisas do entretenimento é ser surpreendido. Por vários motivos, não vi e mal sabia do que se tratava “Rango”. Devo ter visto um teaser trailer, e o perdi nos cinemas. E esse filme merece toda a sua atenção: foi feito com tanto carinho, numa riqueza de detalhes e homenagens, principalmente ao estilo western, que dificilmente deixará de agradar adultos e crianças. Distribuído pela Dreamworks em parceria com os efeitos especiais Industrial Light and Magic, o estúdio foge do estigma de ter apenas Shrek como grande personagem animado em seu currículo. Leia mais

Melancolia sai em DVD e Blu-Ray no Brasil ANTES da Europa! [N#001]

A assessoria de Mídias Sociais da Califórnia Filmes confirmou que o fantástico “Melancolia” de Lars von Trier, um dos melhores filmes do ano, sai na semana que vem em DVD e Blu-ray no Brasil. Praticamente um mês antes do lançamento no Reino Unido e na França. Entre os dias 12 e 13 No dia 15 de dezembro a edição nacional deve chegar às lojas. [editado em 14/12/2011]

Capa da versão inglesa do filme

A California filmes também divulgou as especificações técnicas do filme.

Aspecto de Imagem: 16:9 Letterbox (Anamórifco)

Duração aproximada: 129′

Idiomas: Inglês 5.1, Inglês 2.0 e Português 5.1 (não disseram se o audio é em HD, mas provavavelmente não é)

Legendas: Português

Extras do DVD: Sinopse, ficha técnica e trailers

Extras exclusivos do Blu-Ray (aparentemente, os mesmo da versão da terra da Rainha):

  • About Melancholia – 11’28 (entrevista com o diretor a respeito do filme);
  • Melancholia Visual Effects Featurutte – 06’42 (entrevista com Peter Hjorth sobre os efeitos especiais);
  • The Universe – 04’09 (entrevista com Peter Hjorth e um astrofísico sobre as evidências reais que foram usadas no filme);
  • The Visual Style – 09’31 (entrevista com o diretor, Peter Hjorth e o operador de câmera sobre o estilo visual do filme).

Por enquanto, só achei uma loja online fazendo a pré-venda: a Star Cine Shop. O preço ainda está impraticável. Já deixamos de pagar R$89,9 num Blu-Ray simples faz tempo, não? Mas vibro a iniciativa da California Filmes. Parabéns!

Fuga do Século XXIII (Logan’s Run, 1976, EUA) [Crítica]

Uma crítica curta do clássico Fuga do Século XXIII (Logan’s Run), de 1976.

Com Michael York, Richard Jordan, Jenny Agutter, Peter Ustinov e Farrah Fawcett. Escrito por David Zelag Goodman. Baseado no livro de William F. Nolan e George Clayton Johnson. Dirigido por Michael Anderson.

Numa sociedade sobrevivente de uma grande guerra, os humanos vivem apenas para o prazer, deixando o trabalho pesado para máquinas. Mas isso tem um preço: todos devem morrer aos 30 anos.

Leia mais

Cães de Aluguel (Reservoir Dogs, 1992, EUA) [Crítica]

Com Harvey Keitel, Tim Roth, Chris Penn, Steve Buscemi, Lawrence Tierney e Michael Madsen. Escrito e dirigido por Quentin Tarantino (Kill Bill).

“Cães de Aluguel” é um filme cheio de ótimos momentos, que não são prejudicados pela falta de linearidade. Quentin Tarantino nos mostra a história desse jeito para que criemos empatia com os personagens. Apesar de criminosos, os cinco senhores das cores estão na jornada do herói, e se fossem mostrados como um bando que planejava roubar jóias, e que na figura do Sr Golde não tinha muito valor para com a vida humana, não seriam os personagens marcantes que são. A introdução mostrando o conhecimento de cultura pop nos mostra que esses criminosos não pensam apenas no que vão fazer. Filosofar sobre esses assuntos é uma quebra do perfil normalmente atribuído à um ladrão em outros filmes de crime, onde a cena introdutória é a revisão do plano de ação. E isso tudo para servir a díspar cena seguinte, com um dos personagens que acabamos de conhecer ensanguentado e chorando desesperadamente pelo medo de morrer.

Leia mais

Transformers: O Lado Oculto da Lua (Transformers: The Dark of The Moon, 2011, EUA) [Crítica]

Com Shia LaBeouf, Josh Duhamel, John Turturro, Tyrese Gibson, Rosie Huntington-Whiteley, Patrick Dempsey, Peter Cullen, Hugo Weaving, Leonard Nimoy e John Malkovich. Escrito por Ehren Kruger (Transformers: A Vingança dos Derrotados). Dirigido por Michael Bay (Armageddon).

Os Autobots, liderados por Optimus Prime (voz de Cullen), descobrem que os humanos já tiveram contato com a raça robótica de Cybertron, quando acharam uma nave que caiu no lado sombrio da Lua, o que ocasionou a Corrida Espacial. Lá está a nave de Sentinel Prime (Nimoy) com uma carga que poderia mudar o curso da Guerra. Os Autobots devem chegar lá antes de Megatron (Weaving) e seus Decepticons. Mais uma vez Sam Witwicky (LaBeouf) e toda a humanidade serão pegos no fogo cruzado.

Eu sou da opinião que devemos ver tantos filmes quanto forem possíveis no cinema. Mas o segundo filme da franquia, “Transformers: A Vingança dos Derrotados” (que Michael Bay disse ter começado a filmar no meio da greve dos roteiristas) foi tão ruim que me deixou receoso de ver a continuação no cinema. Mas “Transformes: O Lado Oculto da Lua” é melhor que seu antecessor… o que não quer dizer grandes coisas.

Leia mais

Os Olhos sem Rosto (Les Yeux sans Visage, 1960, França-Itália) [Crítica]

Com Pierre Brasseur, Alida Valli, Juliette Mayniel e Edith Scob. Escrito por Pierre Boileau, Thomas Narcejac, Jean Redon e Claude Sautet. Baseado no romance de Georges Franju. Dirigido por Georges Franju. A obssessão de um cirurgião plástico não conhece limites para reparar o mal que fez à filha. Christiane (Edith) sofreu um acidente de carro, causado pelo pai, e teve o rosto desconfigurado.  Agora o Prof. Genessier (Brasseur) vai fazer o que for preciso para dar uma vida normal a filha, custe as vidas que custar.

Um filme de terror com mais de 50 anos não pode perder o carisma. Mas também é preciso que espectador se coloque no lugar da plateia daquela época e não julgue a película com os olhos dos séculos XX e XXI. E você vai sentir isso se assistiu “A Pele que Habito“. Os temas tem uma certa semelhança. Inclusive a primeira cena em que vemos o Prof Genessier claramente inspirou Almodóvar na apresentação do Dr Roberto. Ambos se dirigem à audiência sobre transplantes de rosto, cada um à sua época. Mas as motivações de Genesserier são diferentes. Ele quer fazer o bem e ajudar a sua filha. Mas como qualquer médico insano, não mostra nenhum remorso pelas cobaias. As humanas tem que morrer, e as animais são constantemente operados e vivendo engaiolados.

Leia mais

[Promoção] Ganhe 10 stickers do Getglue! {EXPIRADO!}

Bem-vindos à primeira promoção do site!

Para quem não sabe, o Getglue é uma rede social onde você comenta que está assistindo filmes, séries, músicas entre outros tópicos. Uma vez por mês, você pode pedir para eles enviarem os adesivos (ou stickers) de graça. E eles enviam para o Brasil de graça. Acontece que alguns desses stickers são limitados. Agora você tem a chance de ganhar cinco stickers limitados + cinco padrões do site!

Os limitados são: Cars 2 Coming Soon, I Love Marvel (Captain America), Conan – Corin Sticker, Fright Night Coming Soon e Captain America Coming Soon

E os padrões: Opening Week, Marathoner, Superfan, Shareaholic e Critic

Regras

1) Siga o meu perfil no twitter

2) Tuite a seguinte mensagem: “[#PROMO] Sou cinéfilo! Estou concorrendo 10 stickers do @getglue. Siga @the_tyger, visite http://kingo.to/UDx e RT para concorrer!

3) O sorteio rola dia 26/12/2011, por volta das 22:00 O perfil terá que alcançar 400 350 seguidores (atualmente tenho 261 312). A partir daí, o sorteio corre por mais 7 dias. [editado em 15/12/2011]

4) Perfis caça-promoções serão excluídos.

5) Válido só para o território nacional do Brasil varonil.

Valeu e boa-sorte!

Volte para a HOME

Missão Laser (Laser Mission, 1989, EUA-Rússia-África do Sul) [Crítica]

Com Brandon Lee, Ernest Borgnine e Debi A. Monahan. Escrito por David A. Frank e Phillip Gutteridge. Dirigido por BJ Davis. O mercenário Michael Gold (Lee) é enviado para Cuba com a missão de trazer o Dr. Braun, um físico especialista em laser para os Estados Unidos. Mas quando Michael é preso injustiçadamente e Braun capturado pelos soviéticos, ele tem a missão de resgatar o doutor antes que seu intelecto seja usado para o mal.

Eu me pergunto várias vezes porque certos roteiros são filmados. As histórias devem ser fantásticas e fazer todo sentido na cabeça de quem escreveu. E o poder de convencimento para vender esse tipo de lixo para os estúdios deve ser gigantesco. Só assim pra explicar essa bomba que vi. Leia mais

Para cima